Se quiser receber as postagens por email, assine aí!

25 de setembro de 2013

Desocupando a moita


Aí o marido chega e diz :

- Do modo que você está tocando nossa vida juntos eu não gosto.

- E qual o modo que você gosta?

- Do meu!

E assim começou a DR.

Uma longa conversa onde ele expunha os interesses dele, só que ela não estava ouvindo mais.

Desde o primeiro momento juntos tudo foi do modo dele, não porque ela desejava, mas pelo simples fato que ela odiava brigar por coisas simples, achava mais fácil ceder.

Ela também tinha a ilusão que poderia reverter as pequenas coisas que ela não gostava depois.

Mas ela adiou isso. Adiou demais. 

Quando ela notou, ela não brigava por nada. 

Foi perdendo a sua identidade e ela virou "a mulher do cara".

Viagens, passeios, restaurantes, investimentos, desejos, necessidades, praticamente tudo era ditado por ele. 

E ela? 

Ela só reclamava ou aprovava, pois desaprovar não adiantava, já estava "feito".

Mas fazia algum tempo que ela estava incluindo a maneira dela ao casal.

Devagar, comendo pelas beiradas, ela conseguiu pequenas alterações de rotina, que depois viraram médias alterações e nos últimos meses ela estava fazendo o que bem queria mesmo e ao que parece ele acabou de se dar conta disso.

- E por mim se você não mudar, se mude!

- OK!

- OK???

- Sim, me mudo, pois não vou cagar, vou desocupar a moita mesmo.

2 comentários:

Camila Monteiro disse...

Tem horas que é melhor não cagar mesmo...
Segurar e sair fora é uma opção bem melhor hahahaha

Excelente reflexão! Beijos!

O Gato do Balaio disse...

Olha... concordo plenamente!