Se quiser receber as postagens por email, assine aí!

21 de novembro de 2011

Casa assombrada 1


Ela havia acabado de se mudar.

Trocou a vida cosmopolita pela calmaria do campo.

E tudo ia muito bem.

Comprou uma casa novinha, em uma rua calma de um condomínio fechado.

Só não estava acostumada ainda com os barulhos da natureza.

Grilos, pássaros, esquilos no jardim, lagartos na mata que havia em volta, aranhas entrando em casa....

Com um mantra mental que dizia "são bichinhos da natureza e não um assaltante" ela tranquilizava o cérebro.

Mas alguém bateu na porta.

"TOC, TOC, TOC  Penny"

Ela sentou na cama assustada.

Quem estaria batendo na porta as 5 da manhã?

Levantou, se armou de uma vassoura e abriu a porta.

Não havia ninguém.

E ela escuta a batida novamente.

"TOC, TOC, TOC, TOC"

Não parecia alguém batendo na porta e sim martelando algo.

Mas ela não tinha vizinhos.

O condomínio era novo e quase sem moradores.

"Seria um fantasma de pedreiro??"

Amanhece e ela chama o empreiteiro para colocar uma trava na porta e aproveita para abordá-lo :

- Miguel, você terminou o serviço por estes dias.... tem alguém morando na minha rua?

- Não tem não senhora.....

- Vou te perguntar uma coisa e você vai ser super honesto na resposta.....

- Ok dona.....

- Morreu algum pedreiro que trabalhava nesta casa?

- Óia, o Gervásio teve um pobrema no coração e tá internado, mas acho que não morreu não..... 

- Ahh ok então, obrigada.

Pagou o homem rapidinho para ele ir embora e passou o dia pensando na assombração.

De madrugada, o batuque volta.

E foi assim em todas as madrugadas da semana.

Ela acendeu vela, ligou para amiga que ia no centro espírita, fez oração e nada do batuque ir embora.

No sábado, vem o marido com o restante da mudança e ela conta sobre o inquilino do outro mundo.

- Você tá sonhando, isso não existe.

Na madrugada, as 5 da manhã, recomeçam as batidas.

Assustada ela acorda o marido.

- Acorda!!!! Ouve!!!!!!!! Viu!!!!!!!!

Ele levanta, aramado com a mesma vassoura e vai até a porta... nada.

Ele sai da casa, tentando achar a fonte do som... e acha.

Um pica-pau, batendo no canto da janela de madeira do quarto deles.

E ela passou a confiar mais no mantra.....

2 comentários:

Camila Monteiro disse...

A história foi fantástica, mas o PENNY riscado ali em cima me fez gargalhar kkkkkkkk

Patrícia Nunes disse...

eu não acredito nessas coisas, mas morro de medo...kkk