Se quiser receber as postagens por email, assine aí!

31 de janeiro de 2013

Sexo e casamento

Estava conversando outro dia com uma pessoa que me disse :

- Não tenho problemas com minha cara metade, só não fazemos sexo com frequência.

- O que é frequência para você?

- Ahh não tem data marcada para isso, mas deve ser a cada 4 meses.

- Mas você tem 40 anos!!! E apenas 8 de casamento! Vocês não tem 80 anos!!!

- Sim, somos mais amigos que se ajudam, igual muleta sabe.... um escorando o outro.

A pessoa explicou, tentou me convencer que não era tão ruim, mas eu não entendo.

Não consigo imaginar um casamento sem toque, sem beijo, sem encostar, sem sexo e sem desejo.

Eu posso ter uma briga gigantesca, que com certeza vai me deixar sem vontade para a coisa, mas quando resolvermos a briga,  a vontade volta ao normal ( sim, rola muita DR em casa, odeio jogar sujeira debaixo do tapete, portanto, tenho que  conversar até a coisa estar resolvida ou concordar que discordamos ).

Sei que é difícil manter o desejo que existe no início, mas é um exercício mútuo. Eu não quero ser amiga do meu homem, eu quero ser esposa, amante, namorada... tá e amiga também, mas irmã nunca!

E falando em 80 anos, me lembrei de uma história que ouvi meu tio contar ao meu pai.

Meu avô procurou meu tio preocupado :

- Sabe filho, não sei mais o fazer, eu e a sua mãe não estavamos mais fazendo sexo com a frequência de antes.

- Ahh pai, acontece, com 84 anos as coisas ficam mais complicadas não é mesmo?

- Sim, e  com 63 anos de casamento.. . mas só três vezes por semana filho???

- POOOOOOXXXXXA PAI! Não faço isso no mês!!

A história rodou a família toda obviamente.

Não sei se meu avô era tarado ou minha avó ninfomaníaca, mas havia entre os dois muita cumplicidade, carinho, respeito e pelo visto muito sexo.

Toda esta introdução é para dizer o seguinte, se você não tem sexo, você não tem casamento. E está perdendo uma parte muito deliciosa da vida.

2 comentários:

Mirella de Oliveira disse...

Mas justo a melhor parte do casamento?
Gente estranha!
Quando eu crescer (hahaha) vou querer ser igual ao seu avo!

rs

Beijos!

Maela disse...

Haja disposição para ser igual o velhinho!